Minhas playlists do Spotify

Olá, meus amores! Como estão? No post de hoje, vou disponibilizar todas as minhas playlists que montei lá no meu Spotify pra vocês conferirem. Já adianto que todas elas contém músicas de fora do país porque eu realmente só gosto das músicas do exterior. Pra quem não sabe, tive uma grande influência delas (especialmente as dos Estados Unidos) desde muito cedo, pois, elas sempre estiveram presente fortemente na minha vida e isso só aumentou naturalmente com o tempo.

Me irrita quem acha que só porque moro no Brasil eu tenho que gostar das músicas daqui, mas não é bem assim. Se elas não me agradam, não tenho motivos pra fingir que gosto só pra dar uma de "legal". É apenas um gosto pessoal. Isso não significa que tenho vergonha do país ou sou "paga pau" dos gringos. Gosto é uma coisa que não se discute, não é mesmo? O importante é que cada um respeite o gosto alheio! Enfim, espero que gostem das playlists!

K-Pop
Eu não me simpatizei tão de primeira em K-Pop por ser uma cultura e idioma completamente diferentes do que estava acostumada, mas, me dei a oportunidade de ir conhecendo aos poucos, afinal, está fazendo muito sucesso e eu não poderia ignorar. Confesso que não ouço todos os dias porque sou mais adepta ao inglês mas, sempre que me dá vontade de ouvir, a playlist me salva. No momento não estou por dentro dos lançamentos das músicas coreanas, porém, as minhas favoritas com certeza estão nessa playlist.


2000's gold
Amo os anos dois mil porque várias músicas da época marcaram a minha infância que, particularmente, é uma etapa da vida que ainda sou muito apegada. Por mais que não possamos voltar no tempo fisicamente, a música nos proporciona essa sensação de estar vivendo tudo de novo e, sempre que sinto saudade daquela época, saio ouvindo elas. A playlist já tem várias músicas nostálgicas, porém, está em construção e ainda estou adicionando pouco a pouco pois leva muito tempo até achar todas elas.


Playlists mensais (do momento)
Aqui no blog pode não ter post de playlist do momento todo santo mês, mas lá no meu Spotify vai ter sim! Todo mês eu tento sair em busca de músicas fresquinhas e recém lançadas para conhecer e ficar viciada, e claro, agrupá-las numa playlist mensal. Tem mês que a playlist é enorme (com mais de trinta músicas) e tem mês que pode não dar tantas assim, porém, o importante não é faltar! Em modéstia à parte, todas as playlists do momento são ótimas porque sou chata até pra escolher as músicas que vou ouvir hahaha. Confiram abaixo!

Na "September Songs" estão todas as músicas que fiquei viciada durante o mês de setembro.


Na "October Songs" estão todas as músicas que ouvi e fiquei viciada durante o mês de outubro.


Na "November Songs" estão as músicas que estou viciada nesse mês. Como o mês praticamente está na metade, ainda posso adicionar mais músicas ao longo do tempo. Tudo isso vai depender de como eu for conhecendo outras novas e gostando.

Quais músicas vocês andam ouvindo ultimamente? Comentem abaixo!
  • Share

Documentário Simply Complicated Demi Lovato

Olá, meus amores! Como estão? Pra quem não sabe, eu sou fã da Demi Lovato e a acompanho há muitos anos. Sempre admirei a sua história de vida e a sua força - sem falar da voz incrível. Algum tempo atrás, quando foi divulgado que haveria um novo documentário da Demi, eu não sabia ao certo o que esperar dele, afinal, aparentemente todo mundo já sabia de sua história e trajetória. Fora a sua fase atual, não achei que teria coisa a ser mostrada, mas é aí que eu estava completamente enganada!

Ele foi lançado no dia dezessete do mês passado gratuitamente em uma de suas contas no YouTube e esperei mais alguns dias pra alguma alma boa postar em legendado e então poder assistir (porque infelizmente não sou fluente em inglês). Também não publiquei aqui no mesmo mês pois não estava conseguindo desenvolver o post - mas antes tarde do que nunca, né? Se você tem problemas com spoilers, já vou logo avisando que não recomendo ler antes de assistir o documentário - já que vou falar de coisas que acontecem nele. Vai lá assistir primeiro e depois volta aqui pra ler o post hahaha.

Contando mais
O documentário dura um pouco mais de uma hora e começa retratando o passado até chegar a fase atual da cantora. Além de seus próprios relatos, tem depoimentos de amigos, família e a equipe de trabalho. No começo, ela fala da relação com o seu pai biológico que aparentemente trocou a família pelas drogas e o álcool e como isso a afetou. Também podemos acompanhar vários outros detalhes que foram contribuindo para que seus problemas começassem a surgir num futuro próximo. Desde o bullying que sofreu na escola, até a pressão de ser perfeita e já ter que lidar com várias responsabilidades que surgiram "de repente" com a fama arrebatadora na adolescência.

Eu fiquei chocada com várias revelações feitas no documentário. Como uma fã, eu sabia que ela já teve envolvimento com drogas, mas não imaginei que tinha sido uma coisa tão pesada assim. Pelo menos não a ponto dela ter que abrir mão do próprio celular pra conseguir se recuperar (porque tinha contato com más influências e traficantes). O choque foi maior porque isso aconteceu na fase após a rehab em que ela se mostrava estar livre/limpa de todos os seus problemas - que foi na época do álbum "Unbroken". A mesma confessou nos primeiros segundos do documentário "Simply Complicated" estar no uso de cocaína em seu documentário "Stay Strong" de 2012.

Tudo bem que na época do tal documentário ela não negou ter recaídas com a bulimia e automutilação após sua saída da reabilitação, porém, escondeu o jogo sobre a droga. Praticamente estava falando sobre recuperação sem estar recuperada. Não só eu, mas vi que todo mundo acreditou que tudo estava bem com ela e que estava numa de suas melhores fases de sua vida - e na verdade não estava. É nessas horas que aquela frase "nada é o que parece" começa a fazer sentido.

Em "Simply Complicated", ela também fala sobre sua sexualidade e basicamente não gosta de se rotular, apenas diz estar aberta à conexão humana não importa se for com homem ou mulher. Nessa fase atual, ela está aproveitando a solteirice para fazer coisas que fez muito pouco na vida que  é dar "matches" no Tinder e marcar encontros - e ela ainda compartilha algumas histórias.

Minha opinião
O documentário é bem sincero e dá pra ver que ela abriu o jogo praticamente sobre tudo - até sobre o término do seu namoro que durou seis anos. Achei muito bom ela ter sido verdadeira/transparente e não ter forçado nada. Além disso, não fez questão de passar uma imagem de ser "indestrutível" ou que leva uma vida perfeitinha, sabe? Pelo contrário! Ela mostrou seu lado mais humana e ainda falou do(s) problema(s) que a assombram até hoje. Por ser uma artista bem-sucedida, muitos podem imaginar que, por isso, não sofre e não passa por problemas só porque tem "uma vida dos sonhos". Com ela podemos ver que isso não é verdade! Fiquei bem surpresa por ter mostrado um lado de sua vida que eu, sinceramente, não achei que ela fosse apresentar assim pra todos!

Conclusão final: o documentário é ótimo e interessante não só pra quem é fã dela, mas também pra aqueles que tem curiosidade de saber mais de sua história - ou talvez vê-la de uma outra forma. A história dela é bastante intensa levando em consideração a sua pouca idade (25 anos), além dela ter passado por tudo isso ainda mais cedo. Acho que não é qualquer um que tem coragem de compartilhar tanto da sua história assim publicamente pra que sirva de inspiração e exemplo pra outras pessoas. Isso é completamente admirável!


E vocês, assistiram? O que acharam? Comentem abaixo!
  • Share

Como colocar categorias na barra superior do blog

Olá, meus amores! Como estão? Há muitos meses atrás, eu tinha uma baita dificuldade na minha vida para colocar categorias nessa bendita barrinha preta do blog. Sem elas eu sentia meu blog vazio e pouco organizado. Na época em que eu me matava pra tentar colocar, nunca achei um tutorial ensinando, talvez porque eu nunca soube o nome exato dessa barrinha (ou porque nunca fizeram mesmo). No final das contas, eu aprendi a colocar sozinha e bem por acaso, não estava com a menor intenção de fazer isso e, quando me dei conta, fui juntando as peças do quebra-cabeça e finalmente consegui.

Recentemente, eu comecei a perceber que não era só eu que tinha essa dificuldade, mas outras blogueiras também - um belo exemplo disso é que já até ensinei uma leitora a colocar no blog dela via e-mail. E aproveitando que eu tinha conseguido ajudá-la, decidi fazer um post explicando o passo a passo de como colocar as categorias na barra.

Pra fazer esse tutorial, vou me basear no meu template porque não sei se em outros há uma grande diferença. Em alguns é preciso adicionar/alterar as categorias via html, e se for seu caso, infelizmente esse tutorial não vai servir. São apenas três passos simples e, acredite, quando você acabar de ler, vai ficar besta assim como eu fiquei depois de descobrir que é muito fácil. Vamos lá!

Primeiro passo: antes de qualquer coisa, vá em algum post seu de alguma categoria que queira adicionar. Após isso, procure no post o lugar que essa categoria fica, geralmente ela está no começo de cada post e antes do título dele, mas depende de cada template. Depois, aperte em cima dela com o botão direito do mouse e vá em "abrir link em uma nova guia".
Agora é só copiar esse link que você abriu na nova guia e ele vai ficar tipo: nomedoseublog.seudomínio/search/label/moda.

Segundo passo: vá na aba layout e em "navigation wrapper" procure por "páginas". Dependendo do seu template, a palavra não vai estar escrita em português mas sim em inglês "page/pages". Logo isso, aperte em "editar" assim como mostra na foto abaixo.

Terceiro passo: Após apertar em editar, vai aparecer uma janela (e é nela que a "mágica" acontece). Agora é só clicar em "adicionar link externo". Logo em "título da página", nomeie a categoria (por exemplo: moda) e no campo abaixo "endereço de web (URL)", cole aquele link que você tinha copiado no primeiro passo.
E é só isso, sem muito segredo. Depois que terminar, é só salvar tudo e ser feliz! Pra você adicionar mais categorias na barrinha, é só repetir o mesmo processo!

Gostaram? Comentem abaixo!
  • Share

Um papo sobre não querer filhos

Olá, meus amores! Como estão? Sem exageros, eu me sinto completamente incompreendida e sem nenhum apoio quando digo que não quero ter filhos, sério! Nunca recebi comentários respeitosos ou compreensivos de alguém dizendo que apoia a minha decisão ou coisa do tipo. Quando alguém toca no assunto comigo e eu digo que não quero, sempre agem com um tom de deboche como se eu não soubesse o que estou dizendo. E como eu estou farta de coisas do tipo, quero falar disso aqui com vocês, afinal, nem toda mulher tem o sonho de ser mãe.

Ao contrário do que muitos imaginam, essa não é uma ideia "superficial" que eu tive de repente ou algo que eu diga de boca pra fora, mas é uma decisão que sempre tive na vida. Sabe quando alguém já nasce sabendo que tem vocação pra exercer uma certa profissão? É completamente isso! Eu já nasci sabendo disso. E falar que você não tem instinto materno é como dizer que odeia bebês/crianças e maltrata os mesmos. Aliás, muito pelo contrário, não ter instinto materno é basicamente não ter vontade ser mãe e não querer ter esse papel na vida.

Eu não me imagino (e nunca me imaginei) sendo mãe e não tenho/nunca tive essa vontade. Não me imagino com uma barriga enorme (e ficar com ela por meses), tendo que amamentar e cuidar de outro ser humano que vai ser cem por cento dependente de mim por muitos anos. Já acho trabalhoso cuidar de mim mesma, imagina ter que cuidar de outro alguém que naturalmente precisa de atenção e cuidados redobrados? É só pra quem tem disposição mesmo!

Eu tenho vinte anos e já sei muita coisa que quero e que não quero na minha vida. Só pelo fato de eu ser considerada nova, não significa que não possa tomar decisões como essa na vida. Aliás, só cabe a mim decidir o que eu quero pra minha vida. Sei que ser mãe é o sonho da vida de muitas, aliás não sou contra isso até porque cada uma possui seus sonhos, mas só porque muitas ou a maioria querem que eu tenha que querer também, não é mesmo?

Eu fico muito incomodada quando alguém começa uma frase (bem inconveniente por sinal) dizendo: "quando você tiver filhos..." tipo, oi? Você nem ao menos perguntou se eu quero ou não e já vem jogando a maternidade assim na minha cara só porque sou mulher. E quando você vai impondo maternidade pra outra pessoa, é a mesma coisa de dizer que ela não tem nenhum poder de escolha na sua própria vida. Ou seja, é exatamente dizer que ela vai ter filhos e ponto final.

Eu não vejo filhos como um "conto de fadas" porque eu sou completamente realista. Sempre que me deparo observando a realidade de mães e filhos, tenho mais certeza ainda de que eu não quero isso pra minha vida. Ter filho exige uma baita responsabilidade - o tipo de responsabilidade que eu não quero ter, dedicação e etc. Ser mãe é mais que parir, é dedicar sua vida pra outro ser humano e abrir mão de muita coisa. E filhos não são como um objeto aleatório que você adquire e depois pode se arrepender e devolver. Se você fez e pariu, já era, não tem mais como voltar atrás. Eu prezo muito a minha liberdade e eu sei que, se fosse optar ter filhos, eu ia perdê-la. Isso me deixa em pânico.

O pior de tudo, é que eu sei que quanto mais os anos forem se passando, mais eu vou ter e sentir essa cobrança em cima de mim de ter filhos e isso me incomoda profundamente. Queria apenas andar com mil cartazes pelo corpo dizendo "NÃO ME COBREM FILHOS".
  • Share

Ando meio perdida

Já se sentiram perdidos alguma vez na vida? Ultimamente ando meio assim, mas estava ignorando esse sentimento e ele começou a se tornar mais forte. Não sou a melhor pessoa pra traduzir perfeitamente o que eu estou sentindo porque sempre me embanano com os sentimentos, porém, vou tentar dizer o que está no pé da letra. Não vou me prolongar muito pois não tem muita coisa a ser dita. Também não pretendo divulgar esse post, eu desejo apenas que aquelas pessoas que se importam e visitam o blog por conta própria o leiam primeiro.

Digamos que eu esteja numa fase complicada, pra ser mais exata, estou perdida. Graças a Deus não tenho nada o que reclamar da minha vida, mas esse sentimento de estar perdida anda me intrigando muito e me deixando inquieta. Ao mesmo tempo em que tenho certeza do que quero, também não sei se continuo o que estou fazendo - ou se realmente essa seria a melhor coisa pra mim. Há muito tempo estou me questionando se estou fazendo a coisa certa. Pra ser mais exata, se estou me dedicando na coisa certa ou da maneira correta. Na verdade, eu tenho certeza na maioria das vezes mas, quando me sinto perdida, é como se eu deixasse de saber. Meio confuso, eu sei, mas é assim que a minha mente anda ultimamente.

Eu não quero abandonar o blog, pois são dois anos de pura dedicação e amor, porém, essas faltas de ideias que estou tendo não está ajudando tanto. Eu até tenho várias ideias, mas muitas delas apenas não fluem - ou não com tanta facilidade. Sem falar que a situação atual da blogosfera não me anima muito - até já desabafei aqui sobre isso recentemente. Juntando isso tudo com o que venho sentindo, é difícil se manter motivada o tempo inteiro.

Como o blog ficou essa última semana sem nenhum post, não seria justo eu aparecer aqui depois de tanto tempo e publicar um post qualquer fingindo que nada aconteceu (ou que não está acontecendo). Pra mim isso seria tipo: "Caguei pra vocês. Isso aqui é só um hobby e eu posto quando quiser". Independente disso ser um hobby ou não, o blog é um pedaço de mim, logo vocês fazem parte da minha vida. Se eu não dissesse nada é como se eu não estivesse sendo verdadeira e omitindo coisas que estão me afligindo.

Nesse tempo que não teve post por aqui, parei pra ver como as coisas iam fluindo e pra tentar ver qual é o propósito da minha vida. Posso dizer que ainda estou sem respostas. É bem angustiante se sentir meio que perdida ou sem "direção" e ficar esperando "a vida dar algum sinal" pra você conseguir captar e então seguir. Não sei se a vida vai me dar a resposta ao longo do tempo ou eu que vou ter que correr atrás dela, apenas espero que essa fase chata passe logo!
  • Share

O que não pode faltar num blog

Olá, meus amores! Como estão? Por mais que cada blog seja diferente um do outro e tenham a sua própria essência, há várias coisas necessárias e básicas que não podemos esquecer ou deixar de lado. Pra ter um blog bom, acho que é sempre importante não priorizar só a aparência, mas também oferecer um ótimo acesso para todos. Pensando nisso, no post de hoje vou dizer alguma dessas coisas que, na minha opinião, não pode faltar num blog.

Lista de posts relacionados
Por mais que você escreva sobre vários assuntos, alguém sempre vai preferir um específico e essa lista de relacionados é um ótimo gancho para que leve as pessoas a ler posts do mesmo tema. Se o seu template/layout não veio com essa função, no fim de cada post você mesma pode colocar links de outros posts que são do mesmo tema. Só não acho legal colocar links abaixo de cada parágrafo dos posts que você escrever. Além disso quebrar a leitura, pra mim é como se tivesse um anúncio a cada parágrafo (bem desnecessário).

Página "sobre" e "contato"
Até parece pouco importante, mas aquela página "sobre" e "contato" é indispensável. Todo mundo que visita ou gostou do seu blog vai querer saber mais sobre a pessoa que escreve e/ou como o blog nasceu. Acho que o gadget que geralmente fica ao lado direito com a sua foto não é o suficiente, mas sim, ele deve ser apenas um resumo sobre você. E a página "contato" também é essencial caso alguma marca queira entrar em contato com você (ou até mesmo para leitores que queiram enviar e-mails). É sempre bom você deixar um e-mail separado pra cada um para não ficar aquela coisa confusa/desorganizada.

Categorias
O que seria de um blog organizado sem suas categorias? Não tem como! Na minha opinião, o melhor lugar pra deixá-las é naquela barrinha de cima. Não vejo muita vantagem em deixar acessível apenas no gadget porque um blog sempre tem vários deles. E quando você olha pra aquela barrinha que fica no topo, fica mais fácil identificar do que o blog se trata (e também clica facilmente nos assuntos do seu interesse). Além disso, não tem que ficar procurando onde o gadget de categorias está.

Lista de posts mais lidos
Não sei vocês, mas sempre me bate uma curiosidade de ver/saber quais são os post mais lidos de cada blog. Acho que deixar os posts mais lidos à mostra é bastante atrativo só pelo fato de serem os mais lidos. De repente, quem chegou de paraquedas no blog pode se interessar por algum desses posts (o que vai fazer as visualizações deles aumentarem ainda mais). Antes a minha lista mostrava os dez posts mais lidos, mas achei que tava exagerado demais e diminui. Porém, isso é bem pessoal, você coloca o tanto que achar necessário.

Posts recentes
Esse é um atalho bastante útil e prático não só pra quem pode ter perdido os posts anteriores, mas também pra quem está conhecendo mais o blog. Além disso, de certa forma, serve pra ter uma noção da frequência que a blogueira atualiza o blog.

Botões de redes sociais
Hoje em dia o mundo é "movido" pelas redes sociais e, como elas são uma ferramenta poderosa, nada mais justo que incluir os botões no seu blog, né? Sem falar que também fica mais fácil pra seus leitores te encontrarem e te seguirem nas redes sociais. E ah, o importante também é que tenha em cada post aqueles botões de compartilhar em redes sociais pra facilitar na divulgação. Vai que alguém passa por ali e quer compartilhar o seu post em alguma rede social? Nunca saberemos!

Template responsivo
Pra quem não sabe, um template responsivo é aquele que se adapta em qualquer tipo de tela - seja a do computador, até a do celular ou tablet. Todos nós sabemos que atualmente a maioria das pessoas acessam tudo através de seus celulares e, tendo essa informação, seria um erro bastante grave não permitir que essas pessoas tenham uma ótima navegação através de seus dispositivos móveis. E cá entre nós: ninguém quer/gosta de visitar um blog que fica desproporcional pelo celular e ficar apanhando pra conseguir ler alguma coisa.

E o que vocês acham que não pode faltar num blog? Comentem abaixo!
  • Share

Looks com vans old skool

Olá, meus amores! Como estão? Podemos perceber que o modelo "Vans Old Skool" invadiu vários pés e virou tendência por aí há um tempo - seja nos pés de mulheres ou homens. Esse modelo é tão queridinho que é um tipo de tênis que esgota rápido nos estoques das lojas. E cá entre nós, não dá pra negar que é o tipo de tênis que todos deveriam ter nessa vida - só é uma pena ser bem carinho. A marca Vans é super conhecida por fazer tênis especialmente para skatistas, logo contém um material mais resistente na sola.

Ele literalmente decidiu ultrapassar barreiras e agora não está presente apenas nos pés daqueles que amam andar de skate, mas também pra quem não abre mão de ter um clássico e básico em sua sapateira. E isso é incrível, pois, pode ser usado em várias ocasiões. E como sou a favor de estilo com conforto, não poderia deixar de fazer um post dando inspirações pra vocês de looks para montar com o tênis!

Esse tênis é básico e bastante versátil, mas claro, não perde aquele estilo que a gente ama num look. Eu escolhi principalmente looks com o modelo preto e branco do tênis porque é uma cor que todo mundo ama e que também combina com qualquer coisa que você tiver no armário. Também não selecionei looks tão óbvios e separei por quatro categorias: com vestido, saia, shorts e calça.

Com vestido
Esse é uns dos tênis que quebra aquele preconceito da combinação com um vestido (seja ele mais curtinho ou midi). E sim, você pode usar um vestido sem abrir mão do conforto (e do estilo) na hora de escolher um calçado - se no caso fosse optar por um salto. Uma informação bacana de moda e que pode dar uma cara mais cool para o look, é que você pode deixar um pedaço da meia aparecendo. Então, você que tem costume de esconder a meia por achar que vai ficar feio, agora sabe que fica um truque mara!

Com saia
Assim como a junção do tênis com vestido, poucas pessoas conseguem imaginar um look lindo de tênis com saia. Como aqui trabalhamos com imagens, nada mais justo mostrar que também é possível compor um look maravilhoso com um tênis e saia. Existem vários tipos de saia: saia com botões, saia lápis, saia plissada etc e com elas mil tecidos diferentes. Incrivelmente o vans old skool vai bem com todos (ou com a grande maioria). 

Com shorts
Outra combinação infalível com o tênis, é usando shorts. Como vocês podem perceber, não tem muito segredo porque ele combina com qualquer tecido e modelo de shorts. É bem sem regras mesmo. E se o jeans for o seu favorito, melhor ainda. Na parte de cima é a mesma coisa, por mais que eu prefira blusas de cores/tons neutros, também combina com uma cor mais forte e menos basiquinha como o vermelho da segunda foto abaixo. Acho legal a proposta de "liberdade" que o tênis proporciona pro look inteiro.

Com calça
É difícil você imaginar um look que fique mais diferente e estilosinho usando uma calça básica e tênis. Um truque legal e que faz bastante diferença pra você conseguir dar um toque a mais de estilo e sair um pouco dessa combinação mais "clichê" da calça com o tênis, é usar uma calça mais curtinha (que não chegue até o final da canela) com o tênis. Se não tiver uma calça mais curta no armário, pode mesmo até dobrar a barra de alguma delas pra ficar menor - eu particularmente adoro isso em calças jeans! 
Gostaram? Comentem!
  • Share