Fatos que nunca contei na internet

Olá, meus amores! Como estão? Não sou lá um baú que guarda mil segredos mas, sempre tem algo que esquecemos de contar ou não achamos a oportunidade perfeita pra fazer isso. Pensando no que ainda não disse por aí, no post de hoje falo cinco fatos "secretos" que nunca contei na internet. E se eu já contei algum deles, foi bem superficialmente, sem entrar em muitos detalhes.

Nunca namorei e nem fiquei com ninguém
Acredite ou não, com 20 anos de existência, nunca tive qualquer tipo de relacionamento. Muita gente sentiria vergonha de revelar coisa desse tipo (outras sentiriam orgulho), entretanto, trato isso com indiferença. Na verdade, nunca dei prioridade para relacionamentos. Já cheguei a "namorar" virtualmente mas, como nunca saiu da internet pra realidade, não considero como namoro de verdade. Onde já se viu alguém que teve namorado mas, ao mesmo tempo, nunca ter beijado ninguém? Não faz sentido! Também não tive muitas oportunidades pra namorar ou sair com alguém então, se não aconteceu até hoje, paciência!

Meu cabelo natural é cacheado
Quem me vê, nem imagina que sou uma cacheada e que mantenho meu cabelo na escova e chapinha. Deve ter pelo menos três anos que não faço progressiva, porém, não parei de passar pra entrar em transição, mas sim, evitar agredir tanto o meu cabelo caso algum dia eu decida fazer uma loucura nele (descolorir). Sem falar que eu gosto de praticidade e, pra mim, cabelo cacheado está longe de ser prático. Não tenho saco pra ficar passando mil produtinhos pra ativar cachos, revitalizar e blá blá blá. Gosto de acordar praticamente pronta e sem precisar perder tanto tempo pra deixá-lo bonitinho.

Tenho pais separados
Eu sei que é um tipo de coisa que, normalmente, as pessoas não ficam espalhando pela internet mas, a vantagem é que tenho um blog e posso falar desse assunto sem parecer uma louca. Aliás, eu nunca disse pra ninguém (seja dentro ou fora da internet) sobre o que eu sentia em relação a separação dos meus pais, pois, sou aquele tipo de pessoa que guarda sentimentos todos pra si. Enfim, mais pra frente penso em até fazer um post de como eu consegui lidar com esse fato.

Já tentei começar um canal em 2015
Alguns meses antes de criar um blog, tentei começar um canal e foi um tremendo fiasco. Postei apenas um vídeo e, simplesmente, não gostei do resultado e desisti do canal no mesmo dia. Na época, também passava por sérios problemas de autoestima, então não decidi forçar a barra. Apesar de não ter gostado do resultado, não exclui a ideia de começar outro canal futuramente quando estivesse realmente preparada.

Nunca fui a um show
Show da Demi? Selena? Dua Lipa? Algum ídolo de infância? Pasmem, nunca fui na vida! Ainda não sei o que é comprar o ingresso de algum artista favorito e esperar ansiosamente até o dia do show. Também não sei o que é ficar perto daquele cantor que admiro, ficar rouca de tanto gritar/cantar as músicas e nem ficar com o rosto todo borrado de tanto chorar. No final das contas, o que faltou/falta mesmo pra isso acontecer é dinheiro porque vontade tenho de sobra hahaha.

Não acompanho e não assisto séries
Achar alguém que não assista séries é muito difícil mas, acredite, eu faço parte dessa porcentagem. Pra dizer que nunca assisti nenhuma série, esse ano vi "13 Reasons Why" e "Girlboss" e, no máximo, já acompanhei antigamente aquelas da Nickelodeon e Disney Channel. Porém, essas atuais e super produzidas disponíveis na Netflix, nem sequer cheguei perto. Inclusive, quando o assunto que está rolando é sobre alguma série, eu fico completamente boiando. Não faço a menor ideia do que falam.

Nunca bebi (nem experimentei) bebidas alcoólicas
Não tenho e nunca tive vontade ou curiosidade de experimentar nenhuma bebida alcoólica, além disso, só o cheiro delas me dão nojo. Não vejo o menor sentido em beber, muito menos até perder a sanidade. Confesso que tenho vergonha alheia de quem bebe demais e acha maneiro sair postando nas redes sociais como isso fosse motivo de orgulho, mas né, quem sou eu pra julgar? Cada um faz o que acha de melhor em suas vidas.

Gostaram? Comentem!
  • Share

Situações que só quem usa óculos passa (ou já passou)

Olá, meus amores! Como estão? Eu até que poderia dizer que sempre amei usar óculos de grau mas, na verdade, vivo numa relação de amor e ódio. O amo por me fazer enxergar melhor e odeio simplesmente por ser um óculos. Eu sempre odiei ter que ficar dependente dele como se fosse uma parte do meu corpo - porque foi isso que ele se tornou na minha vida.

Quando alguém me diz que queria usar óculos, eu faço uma cara tipo: "não fale besteira, colega" porque usar óculos não envolve um capricho pessoal, mas sim, uma necessidade. Só quem precisa usar assiduamente sabe o quão é desagradável. Não poder ver o mundo nitidamente com os próprios olhos pra mim é uma coisa frustrante. Fora que tenho um grau forte e não posso escolher qualquer modelo de armação que quiser, como, por exemplo, as armações maiores e mais fininhas.

E, aproveitando toda essa onda de usar óculos de grau, claro que não poderia deixar de fazer um post citando algumas das situações que, só quem usa óculos de grau passa e vai se identificar, afinal, não é lá um mar de rosas, porém, nos rende várias histórias pra compartilhar depois.

Esquecer de tirar pra tomar banho
Já não sei quantas vezes nessa vida esqueci de tirar o óculos pra tomar banho e, quando me dei conta, já tinha ligado o chuveiro e as lentes dele estavam respingadas de água. E mesmo que você não esqueça de tirar e só deixe o óculos no banheiro pra ir tomar um banho quente, ele vai estar todo embaçado depois por causa do vapor. Parece até uma brincadeira com a nossa cara!

Se maquiar
Se maquiar com o óculos é impossível e, sem ele, é pior ainda! Sem o óculos, tenho que praticamente atravessar o espelho pra conseguir fazer alguma coisa, seja pra passar base, batom e etc. Aliás, não me apego tanto em maquiagem porque sinto que o óculos acaba escondendo ela, então não me dá ânimo de ficar passando. Do que adianta fazer uma make super produzida se depois vai colocar aquele trambolho no rosto? Sem contar que você sempre arruma um jeito de sujar a lente do óculos com a base.

Esquecer onde o colocou
É raro eu tirar o óculos pra qualquer coisa (exceto ter que tomar banho e dormir). Entretanto, como não sou obrigada a aparecer com ele em todas as minhas fotos, toda vez que vou tirar selfies, deixo o óculos em algum lugar. O pior de tudo, é que nem sempre presto atenção onde eu deixo ele e bate aquele mini desespero por não conseguir achá-lo. Infelizmente, a visão toda borrada/desfocada não ajuda tanto, muito menos nessa situação. Não é mesmo?

Abaixar a cabeça e ele escorregar
Se existe uma coisa mais irritante que a lente do óculos ficar suja por nada, essa coisa é o óculos ficar escorregando quando você abaixa a cabeça pra fazer alguma coisa. Com certeza, esse é o único momento da vida em que desejo tacar Super Bonder no óculos pra que ele fique grudado meu rosto e pare de ficar indo até a ponta do nariz. Como não é o caso, a solução é ficar segurando o meio do óculos com o dedo e abaixar a cabeça pra conseguir fazer alguma coisa.

Nariz sempre oleoso
E por falar em óculos escorregando, tenho quase certeza que você sofre com aquela síndrome do nariz que fica oleoso de hora em hora por causa do mesmo. Eu, normalmente, já sofro pra controlar a minha pele oleosa e, não importa quantas vezes eu tivesse que lavar o rosto ao dia, a parte de cima do nariz sempre iria bater o recorde de ficar oleoso por conta do óculos. Várias vezes por dia eu tenho que ficar dando uma secada nessa oleosidade que fica dando. Haja saco!

Óculos de sol não pode ser um acessório estiloso no seu armário
Pra quem não usa lentes de contato, porém, é uma escrava do óculos de grau assim como eu, um óculos de sol é apenas um acessório que você usa apenas nos seus sonhos. Aliás, você tem que optar por enxergar bem com o de grau ou ser estilosa e não enxergar tão bem assim com o de sol - pois, cá entre nós não dá para usar os dois só de uma vez. Eu sei que existe aquela lente transitions que escurece com a luz/sol lá de fora, porém, vamos combinar que não é a mesma coisa de usar um óculos de sol, né?

Quando alguém esbarra no seu óculos e faz ele cair
Sempre que alguém esbarra a mão ou o braço no meu óculos, fica aquele clima meio constrangedor e, de certo modo, engraçado. A pessoa que esbarrou em você literalmente fica sem saber como agir direito. Ela não sabe se pergunta primeiro se o óculos quebrou ou se você se machucou. E se o óculos não cai no chão com a esbarrada que ele levou, fica todo torto no seu rosto.

Por quais situações vocês já passaram? Comentem abaixo!
  • Share

Coisas que eu queria ter aprendido antes dos dezoito anos

Olá, meus amores! Como estão? De certo modo, dezoito anos é uma idade marcante na vida de muita gente, logo também é uma idade de muitos aprendizados. É a fase em que temos que escolher coisas importantes como, por exemplo, a profissão que exerceremos, enfim, várias outras coisas. E como fiz dezoito anos há dois anos atrás (que pra mim foi praticamente ontem), no post de hoje vou dizer algumas coisas que eu queria ter aprendido antes de completar dezoito anos.

A minha vida não vai mudar magicamente quando eu completar a maioridade
Aqui vai uma das minhas maiores ilusões da vida: quando fizesse dezoito anos, sempre achei que a minha vida fosse mudar completamente - era muita loucura, eu sei. Eu só me dei conta de que fazer dezoito anos é praticamente a mesma coisa que fazer as outras idades da vida quando, de fato, completei 18. As diferenças são: você atinge a maioridade, já pode dirigir e beber legalmente (o que nunca fez diferença na minha vida porque eu não suporto bebidas alcoólicas). Sem falar que é uma idade em que normalmente você não estuda mais ou faz uma faculdade. Fora isso, a sua vida vai continuar sendo a mesma só que com outras prioridades. Queria não ter tido tantas expectativas pra nada.

As dores nas costas aparecem cedo
Com certeza, o maior preço que eu pago por ficar tanto na frente do computador, é a dor nas costas que encaro às vezes. Isso não foi por falta de aviso porque sempre me avisaram que, se eu sentasse errado ou ficasse muito tempo sentada, eu ia ter essas dores. Porém, na minha mente, era uma coisa que só ia acontecer lá depois dos trinta anos, pois, nunca vi alguém muito jovem reclamar disso, então eu não dei muita bola. Agora podemos ver que alguém estava redondamente enganada e começou a ter dor nas costas muito antes dos trinta.

Decidir o futuro é mais complicado do que eu penso
Nunca fui de me preocupar com o futuro (profissionalmente dizendo) e, ao mesmo tempo, nunca soube direito o que eu queria fazer da vida futuramente - já que sempre gostei de várias coisas. Só não achei que, mais tarde, seria tão complicado decidir o que eu iria querer fazer pro resto da vida. Não sou a favor de você se enfiar numa faculdade e se obrigar a exercer aquela profissão pro resto da vida (a não ser que você saiba o que ama fazer), porém, eu não faria uma só pra ficar jogando na cara dos outros que me formei e no fundo estar infeliz. Ainda não me encontrei nessas profissões mais tradicionais (não consigo me sentir atraída por nada) mas, por outro lado, acredito que cada coisa acontece na sua hora certa.

Ninguém pode me amar por mim
Por muitos anos na minha vida odiei fotos, fugia do espelho, odiava meu corpo e consequentemente era a minha própria inimiga. Até o ano passado não tinha nenhuma autoestima e foi quando eu decidi dar um basta nisso tudo e mudar a situação. Nesse processo, fui notando que as neuras da minha cabeça não faziam nenhum sentido. Claro que não acordei de uma hora pra outra me amando, mas é uma coisa que fui construindo (e ainda estou construindo) aos poucos. Percebi o quanto é importante me amar e ser confiante comigo mesma pra conseguir encarar o mundo e não abaixar a cabeça pra ninguém. Nisso, também aprendi que ninguém pode me amar por mim mesma. Afinal, se eu não me amar, quem é que vai?

A vida de um adulto não é interessante assim
O maior pecado na minha vida foi eu já ter desejado ser adulta várias vezes quando era mais nova (ou ter imaginado que seria uma coisa incrível). Apesar de eu já ter vinte anos, não me considero a "adultona" porque ainda não levo a vida de uma mas, hoje estando tão de frente com a realidade do que é ser um adulto, vejo que não é essa maravilhosidade toda que eu fantasiava. Pra mim, ser adulto se resume em trabalhar, pagar contas, ficar sem tempo pra nada e ter mil responsabilidades - isso está longe de ser interessante!

Redes sociais preenchem meu tempo, mas não a minha vida
Se tinha uma pessoa viciada e que não abria mão de ficar conectada nas redes sociais, essa pessoa era eu. Não sei o motivo, mas eu achava que elas (especialmente o twitter) preenchiam a minha vida e me faziam ser uma pessoa mais feliz e completa, mas isso era uma pura ilusão. Fui percebendo aos poucos que, a única coisa que eu fazia quando estava enfiada nelas, era só desperdiçar o meu tempo. Sinto falta desses anos perdidos porque na época eu poderia ter feito algo de útil como, por exemplo, criar um blog.

E vocês, o que queriam ter aprendido antes? Comentem abaixo!
  • Share

Frases que dizem pra quem não quer filhos

Olá, meus amores! Como estão? Recentemente falei num post sobre a minha decisão de não ter filhos e como a cobrança de terceiros sobre isso me incomoda. Fazer aquele post foi uma forma de desabafar e dizer o que já estava entalado em mim há algum tempo. Aliás, confesso que não esperava tanto feedback assim, sério! Muito menos um feedback tão positivo. Vários de vocês se identificaram comigo, me deram apoio e também compartilharam histórias ou a reação de alguém quando disseram que não queriam filhos. Eu fiquei bem feliz e me senti menos desamparada!

E como o tema me rendeu algumas pautas, no post de hoje eu vou citar frases que dizem pra quem não quer filhos. Se você ainda não ouviu alguma delas (o que eu divido muito), vai ouvir algum dia das pessoas quando elas tocarem no assunto - o que dá pra perceber o quanto elas são previsíveis. Claro que esse post ficaria enorme se eu decidisse colocar todas as frases que dizem, então separei aquelas, digamos, "mais tradicionais" que são as mais faladas.

"Uma hora o amor da sua vida vai aparecer"
Se esse "amor da minha vida" não tiver os mesmos planos que eu, sinto muito, mas cada um vai seguir o seu caminho! Desde o início de qualquer relacionamento que eu tiver, já vou deixá-lo(s) ciente(s) da minha decisão pra depois não dizer(em) que não avisei. Acredito que não há muitas chances de um relacionamento dar certo se ambos não estão de acordo com a escolha do outro e não vão abrir mão dela. Isso vai soar completamente egoísta pra muita gente mas, eu simplesmente não vou abrir mão da minha decisão de não ter filho pra satisfazer algum parceiro. Cá entre nós, podemos ter vários "amores da nossa vida" ao longo dela. Se com o atual tiver esse conflito, é só seguir com a sua vida.

"Você vai mudar de ideia"
Desculpa aí, vidente que prevê o futuro e que sabe mais das minhas decisões do que eu mesma. Só pra deixar claro: não é só porque você ou alguém que você conheça mudou de ideia sobre ter filhos, não significa que eu vá mudar também! Cada um é cada um. Eu tenho motivos suficientes para não mudar de ideia mais tarde. Cada dia que passa, só tenho certeza da minha escolha e ela só vai aumentar mais ainda com o tempo.

"Fala isso porque está nova"
Assim como tem gente da minha idade (ou até mais nova que eu) decide ter filhos, porque eu simplesmente não posso decidir não ter? Idade é apenas um número e esse número não define a minha capacidade de ser madura o suficiente para tomar uma decisão desse tipo! Muitas pessoas acham que, só porque você é jovem, não sabe o que quer da vida direito ou não tem juízo pra nada. Aliás, tenho juízo o suficiente pra saber que um filho dá trabalho, muitos gastos e não é como uma brincadeira de "mamãe e filhinha" com uma boneca assim como aquela que brincávamos na infância.

"Vai ficar sozinha na vida"
Bem aquela típica frase que dizem pra te deixar com medo da solidão. Isso não funciona comigo! Afinal, vou ficar sozinha em quê? A família e os amigos estão aí pra enfeite? Posso não criar uma família a partir de mim, porém, vou continuar tendo a minha família e também as amizades. Pra mim já é o suficiente! Fora isso, também existem os animaizinhos pra serem adotados, ou seja, não dá pra ficar sozinha! Filho nenhum não é uma garantia de companhia eterna porque, simplesmente, ele pode morar em outro canto do mundo quando crescer ou te colocar no asilo e esquecer da sua existência.

"Você só vai ser completamente feliz e realizada se tiver filhos"
Tirou isso de onde? De uma pesquisa cientifica que foi comprovada? É engraçado como muita gente acha que tem a poção da felicidade de todos. Elas não devem saber, mas nós mulheres/seres humanos não somos que nem robôs que são programados para fazer a mesma coisa que todos os outros. Você não pode chegar em alguém e dizer que ela vai ser infeliz ou pouco feliz só porque não escolheu levar o mesmo padrão de vida que outras trocentas (que no caso é ter filhos). Cada um tem seu sonho e cada um sabe como achar sua própria felicidade. O que você aponta como realização de vida e felicidade é regra da sua vida, não de outras.

"Só é possível descobrir o amor verdadeiro quando se tem filho"
Então quer dizer que o amor que tenho pela família e amigas é falso? Olha, se você não sabia o que era amor antes de ter filhos, o problema é todo seu. Não tenho nada a ver com isso! O amor por um filho pode ser diferente do que sentimos pela família, amigos ou qualquer outra coisa, mas isso não significa que seja o único amor válido ou suficiente. E se eu não quero ter na minha vida esse amor que um filho proporciona, aí o problema é todo meu!

Vocês ouvem/ouviram mais alguma outra frase? Comentem abaixo!
  • Share

Minhas playlists do Spotify

Olá, meus amores! Como estão? No post de hoje, vou disponibilizar todas as minhas playlists que montei lá no meu Spotify pra vocês conferirem. Já adianto que todas elas contém músicas de fora do país porque eu realmente só gosto das músicas do exterior. Pra quem não sabe, tive uma grande influência delas (especialmente as dos Estados Unidos) desde muito cedo, pois, elas sempre estiveram presente fortemente na minha vida e isso só aumentou naturalmente com o tempo.

Me irrita quem acha que só porque moro no Brasil eu tenho que gostar das músicas daqui, mas não é bem assim. Se elas não me agradam, não tenho motivos pra fingir que gosto só pra dar uma de "legal". É apenas um gosto pessoal. Isso não significa que tenho vergonha do país ou sou "paga pau" dos gringos. Gosto é uma coisa que não se discute, não é mesmo? O importante é que cada um respeite o gosto alheio! Enfim, espero que gostem das playlists!

K-Pop
Eu não me simpatizei tão de primeira em K-Pop por ser uma cultura e idioma completamente diferentes do que estava acostumada, mas, me dei a oportunidade de ir conhecendo aos poucos, afinal, está fazendo muito sucesso e eu não poderia ignorar. Confesso que não ouço todos os dias porque sou mais adepta ao inglês mas, sempre que me dá vontade de ouvir, a playlist me salva. No momento não estou por dentro dos lançamentos das músicas coreanas, porém, as minhas favoritas com certeza estão nessa playlist.


2000's gold
Amo os anos dois mil porque várias músicas da época marcaram a minha infância que, particularmente, é uma etapa da vida que ainda sou muito apegada. Por mais que não possamos voltar no tempo fisicamente, a música nos proporciona essa sensação de estar vivendo tudo de novo e, sempre que sinto saudade daquela época, saio ouvindo elas. A playlist já tem várias músicas nostálgicas, porém, está em construção e ainda estou adicionando pouco a pouco pois leva muito tempo até achar todas elas.


Playlists mensais (do momento)
Aqui no blog pode não ter post de playlist do momento todo santo mês, mas lá no meu Spotify vai ter sim! Todo mês eu tento sair em busca de músicas fresquinhas e recém lançadas para conhecer e ficar viciada, e claro, agrupá-las numa playlist mensal. Tem mês que a playlist é enorme (com mais de trinta músicas) e tem mês que pode não dar tantas assim, porém, o importante não é faltar! Em modéstia à parte, todas as playlists do momento são ótimas porque sou chata até pra escolher as músicas que vou ouvir hahaha. Confiram abaixo!

Na "September Songs" estão todas as músicas que fiquei viciada durante o mês de setembro.


Na "October Songs" estão todas as músicas que ouvi e fiquei viciada durante o mês de outubro.


Na "November Songs" estão as músicas que estou viciada nesse mês. Como o mês praticamente está na metade, ainda posso adicionar mais músicas ao longo do tempo. Tudo isso vai depender de como eu for conhecendo outras novas e gostando.

Quais músicas vocês andam ouvindo ultimamente? Comentem abaixo!
  • Share

Documentário Simply Complicated Demi Lovato

Olá, meus amores! Como estão? Pra quem não sabe, eu sou fã da Demi Lovato e a acompanho há muitos anos. Sempre admirei a sua história de vida e a sua força - sem falar da voz incrível. Algum tempo atrás, quando foi divulgado que haveria um novo documentário da Demi, eu não sabia ao certo o que esperar dele, afinal, aparentemente todo mundo já sabia de sua história e trajetória. Fora a sua fase atual, não achei que teria coisa a ser mostrada, mas é aí que eu estava completamente enganada!

Ele foi lançado no dia dezessete do mês passado gratuitamente em uma de suas contas no YouTube e esperei mais alguns dias pra alguma alma boa postar em legendado e então poder assistir (porque infelizmente não sou fluente em inglês). Também não publiquei aqui no mesmo mês pois não estava conseguindo desenvolver o post - mas antes tarde do que nunca, né? Se você tem problemas com spoilers, já vou logo avisando que não recomendo ler antes de assistir o documentário - já que vou falar de coisas que acontecem nele. Vai lá assistir primeiro e depois volta aqui pra ler o post hahaha.

Contando mais
O documentário dura um pouco mais de uma hora e começa retratando o passado até chegar a fase atual da cantora. Além de seus próprios relatos, tem depoimentos de amigos, família e a equipe de trabalho. No começo, ela fala da relação com o seu pai biológico que aparentemente trocou a família pelas drogas e o álcool e como isso a afetou. Também podemos acompanhar vários outros detalhes que foram contribuindo para que seus problemas começassem a surgir num futuro próximo. Desde o bullying que sofreu na escola, até a pressão de ser perfeita e já ter que lidar com várias responsabilidades que surgiram "de repente" com a fama arrebatadora na adolescência.

Eu fiquei chocada com várias revelações feitas no documentário. Como uma fã, eu sabia que ela já teve envolvimento com drogas, mas não imaginei que tinha sido uma coisa tão pesada assim. Pelo menos não a ponto dela ter que abrir mão do próprio celular pra conseguir se recuperar (porque tinha contato com más influências e traficantes). O choque foi maior porque isso aconteceu na fase após a rehab em que ela se mostrava estar livre/limpa de todos os seus problemas - que foi na época do álbum "Unbroken". A mesma confessou nos primeiros segundos do documentário "Simply Complicated" estar no uso de cocaína em seu documentário "Stay Strong" de 2012.

Tudo bem que na época do tal documentário ela não negou ter recaídas com a bulimia e automutilação após sua saída da reabilitação, porém, escondeu o jogo sobre a droga. Praticamente estava falando sobre recuperação sem estar recuperada. Não só eu, mas vi que todo mundo acreditou que tudo estava bem com ela e que estava numa de suas melhores fases de sua vida - e na verdade não estava. É nessas horas que aquela frase "nada é o que parece" começa a fazer sentido.

Em "Simply Complicated", ela também fala sobre sua sexualidade e basicamente não gosta de se rotular, apenas diz estar aberta à conexão humana não importa se for com homem ou mulher. Nessa fase atual, ela está aproveitando a solteirice para fazer coisas que fez muito pouco na vida que  é dar "matches" no Tinder e marcar encontros - e ela ainda compartilha algumas histórias.

Minha opinião
O documentário é bem sincero e dá pra ver que ela abriu o jogo praticamente sobre tudo - até sobre o término do seu namoro que durou seis anos. Achei muito bom ela ter sido verdadeira/transparente e não ter forçado nada. Além disso, não fez questão de passar uma imagem de ser "indestrutível" ou que leva uma vida perfeitinha, sabe? Pelo contrário! Ela mostrou seu lado mais humana e ainda falou do(s) problema(s) que a assombram até hoje. Por ser uma artista bem-sucedida, muitos podem imaginar que, por isso, não sofre e não passa por problemas só porque tem "uma vida dos sonhos". Com ela podemos ver que isso não é verdade! Fiquei bem surpresa por ter mostrado um lado de sua vida que eu, sinceramente, não achei que ela fosse apresentar assim pra todos!

Conclusão final: o documentário é ótimo e interessante não só pra quem é fã dela, mas também pra aqueles que tem curiosidade de saber mais de sua história - ou talvez vê-la de uma outra forma. A história dela é bastante intensa levando em consideração a sua pouca idade (25 anos), além dela ter passado por tudo isso ainda mais cedo. Acho que não é qualquer um que tem coragem de compartilhar tanto da sua história assim publicamente pra que sirva de inspiração e exemplo pra outras pessoas. Isso é completamente admirável!


E vocês, assistiram? O que acharam? Comentem abaixo!
  • Share

Como colocar categorias na barra superior do blog

Olá, meus amores! Como estão? Há muitos meses atrás, eu tinha uma baita dificuldade na minha vida para colocar categorias nessa bendita barrinha preta do blog. Sem elas eu sentia meu blog vazio e pouco organizado. Na época em que eu me matava pra tentar colocar, nunca achei um tutorial ensinando, talvez porque eu nunca soube o nome exato dessa barrinha (ou porque nunca fizeram mesmo). No final das contas, eu aprendi a colocar sozinha e bem por acaso, não estava com a menor intenção de fazer isso e, quando me dei conta, fui juntando as peças do quebra-cabeça e finalmente consegui.

Recentemente, eu comecei a perceber que não era só eu que tinha essa dificuldade, mas outras blogueiras também - um belo exemplo disso é que já até ensinei uma leitora a colocar no blog dela via e-mail. E aproveitando que eu tinha conseguido ajudá-la, decidi fazer um post explicando o passo a passo de como colocar as categorias na barra.

Pra fazer esse tutorial, vou me basear no meu template porque não sei se em outros há uma grande diferença. Em alguns é preciso adicionar/alterar as categorias via html, e se for seu caso, infelizmente esse tutorial não vai servir. São apenas três passos simples e, acredite, quando você acabar de ler, vai ficar besta assim como eu fiquei depois de descobrir que é muito fácil. Vamos lá!

Primeiro passo: antes de qualquer coisa, vá em algum post seu de alguma categoria que queira adicionar. Após isso, procure no post o lugar que essa categoria fica, geralmente ela está no começo de cada post e antes do título dele, mas depende de cada template. Depois, aperte em cima dela com o botão direito do mouse e vá em "abrir link em uma nova guia".
Agora é só copiar esse link que você abriu na nova guia e ele vai ficar tipo: nomedoseublog.seudomínio/search/label/moda.

Segundo passo: vá na aba layout e em "navigation wrapper" procure por "páginas". Dependendo do seu template, a palavra não vai estar escrita em português mas sim em inglês "page/pages". Logo isso, aperte em "editar" assim como mostra na foto abaixo.

Terceiro passo: Após apertar em editar, vai aparecer uma janela (e é nela que a "mágica" acontece). Agora é só clicar em "adicionar link externo". Logo em "título da página", nomeie a categoria (por exemplo: moda) e no campo abaixo "endereço de web (URL)", cole aquele link que você tinha copiado no primeiro passo.
E é só isso, sem muito segredo. Depois que terminar, é só salvar tudo e ser feliz! Pra você adicionar mais categorias na barrinha, é só repetir o mesmo processo!

Gostaram? Comentem abaixo!
  • Share