Dificuldades de pessoas tímidas

Olá, meus amores! Como estão? Muitas coisas consideradas simples pra muitos, para nós tímidos é como um belo de um desafio (literalmente). Pensando em todas as dificuldades que temos por causa da timidez, no post de hoje vou falar algumas dessas dificuldades. E claro, tudo baseado nas minhas próprias dificuldades de ser tímida, afinal, como muitos já sabem - e pelo nome do blog - eu sou uma pessoa extremamente tímida. Caso alguém se identifique com o post, vai ver que não está só/não é a única hahaha!

Fazer amizades
Já não é segredo que uma pessoa tímida tem dificuldades de se entrosar com as pessoas. E como pra arranjar amizades você tem que ser mais "solta"e ter atitude de abordar as pessoas, nós não conseguimos amizades facilmente. No meu caso, além de eu ser tímida, sou bem reservada, então fica mais difícil ainda fazer amizades. Apesar de eu estar satisfeita com as poucas amizades que tenho, às vezes me dá vontade de conhecer gente nova e ter aquele sentimento de que conquistei a amizade de mais uma pessoa. É uma pena que um momento como esse é muito raro de acontecer.

Olhar nos olhos de outras pessoas
Não me pergunte o motivo dessa dificuldade, sério! Eu sei que parece ser tosco, mas é a pura verdade! Uma pessoa tímida pode olhar no fundo dos seus olhos, porém, no segundo seguinte, já vai desviar e ficar olhando pra outro lugar que não seja os olhos da outra. Ainda temos que lidar com aquele tipo de gente que só faz questão de falar olhando no seu olho. O que complica mais, pois, você não consegue ficar olhando nos olhos dela tão diretamente. Se eu olhar por muito tempo nos olhos de alguém, me dá vontade de ter um ataque de risos de tanta vergonha.

Falar sobre sentimentos
Pra muitos, pode ser simples e natural falar sobre seus sentimentos, mas não pra nós tímidos. Claro que vai depender de cada pessoa tímida mas, pra mim, particularmente é uma coisa extremamente difícil e complicada. Por causa da timidez, você dificilmente consegue falar sobre o que está sentindo e dizer que gosta de alguém - seja para a própria pessoa ou pra alguma amiga/alguém próximo. Também é difícil dizer com palavras claras o quanto gosta da pessoa ou até mesmo ficar demonstrando sentimentos.

Lidar com elogios
Quem não adora ou fica feliz em receber um elogio? Todo mundo! Nós tímidos não estamos fora dessa, mas só basta um elogio pra uma pessoa tímida ficar sem jeito (e talvez vermelha feito tomate). Eu, por exemplo, não sei direito como agradecer e reagir quando sou elogiada - seja pela minha aparência ou até por uma coisa que fiz. Eu nunca sei se um "obrigada" é suficiente e, quando agradeço com um obrigada, tenho uma impressão de que não gradeci direito.

Falar em público
Se um tímido mal consegue falar num grupo de desconhecidos, quem dirá falar em público pra um monte de gente? Pra nós, é bem assustador o fato de ter várias pessoas nos observando enquanto falamos e nos tira totalmente da zona de conforto estar no centro das atenções. Já ouvi dizer que não é só os tímidos que tem esse medinho, mas os "saidinhos" também. É bem difícil de acreditar nisso, né? Afinal, pessoas mais extrovertidas sempre lidam melhor com as outras (ao contrário de nós tímidos).

Cumprimentar pessoas
Qual tímido nunca passou (e passa) pela situação de cumprimentar pessoas que mal conhece ou vê? Eu mesma nunca sei como agir direito nesses momentos! Confesso até que muitas vezes eu deixo de cumprimentar direito as pessoas que não tenho convívio (mas que algum parente conhece) pela minha timidez. Eu sei que isso não é muito certo, mas, se elas puderem me compreender, eu vou agradecer bastante. Na verdade, seria difícil alguém não compreender ou perceber já que a timidez está estampada na minha cara.

Deixar de ser tímido
Deixar de ser tímido também é uma das nossas dificuldades. Apesar de não aparentar, sempre estamos nos esforçando ao máximo pra deixá-la de lado. Acredite, é a nossa maior batalha interna! Muitas pessoas falam pra você se soltar mais, como se deixar de ser tímido fosse a coisa mais fácil do mundo - e ainda insinuam que nós somos assim porque queremos. Eu quero aproveitar e dizer pra essas pessoas que não existe uma fórmula mágica pra deixar de ser tímida, muito menos num piscar de olhos. É uma coisa que se consegue aos poucos. Reclamar/julgar a nossa timidez também não vai ajudar em nada, aliás, só pode piorar a situação.

Falar alto
Ler um texto pra sala de aula era o maior dos meus pesadelos na época de escola, pois, eu sempre sabia que algum engraçadinho ia dizer pra eu ler mais alto - e isso me afetava de alguma forma. Sempre foi difícil pra mim falar em um tom que não me sentisse confortável e, quando eu sou obrigada a falar num tom mais elevado, pra mim é como estar gritando. E quando alguém não entende o que eu falo no meu tom confortável, eu simplesmente desisto de falar.

Sabem mais alguma dificuldade? Comentem abaixo!
  • Share

Aplicativo favorito: Word Swag

Olá, meus amores! Como estão? A primeira vez que ouvi falar do Word Swag, foi há muito tempo em vídeos de algumas youtubers. A princípio, eu até tinha gostado da proposta dele, mas deixei pra lá porque vi que é pago (e bem carinho). Cá entre nós: não tenho dinheiro nem pra comprar blusinhas, quem dirá um aplicativo? Na Play Store ele está custando quinze reais e no iTunes está cinco dólares - se for converter está praticamente a mesma coisa. Mesmo com esse preço salgadinho, eu realmente acho que vale a pena cada centavo que for gasto com ele (apesar de que eu não comprei o meu).

Como ele se tornou um favorito desde que baixei e comecei a usar, não poderia deixar de compartilhar com vocês uma coisa tão boa, né? Afinal, sempre que amo uma coisa, corro fazer um post e contar pra vocês. Bem aquela dica de melhor amiga mesmo! Além de que você pode fazer fotos legais para postar no instagram (e deixar o feed mais bonitinho), dá para usá-las como wallpaper. Eu que sou a louca do wallpaper e sempre estou trocando os meus, já estou me divertindo bastante criando novos!

Pra resumir um pouco, a proposta do aplicativo é te permitir montar frases (com fontes lindas) em cima de imagens. Tipo essas que encontramos pelo Pinterest, sabe? Então, nesse post, além de ser uma indicação pra vocês, eu vou ensinar mais ou menos como se usa ele. O aplicativo é bem simples e fácil de mexer, sério! Geralmente, não tenho complicações pra mexer em apps, mas a dificuldade é zero. Duvido que não se torne craque depois de ler o post hahaha. Vamos começar!

Na página inicial já aparece umas fotinhas de exemplo (o que é ótimo pra se inspirar). Na primeira etapa que é a escolha das fotos, o aplicativo oferece várias maravilhosas (como mostra na segunda foto). Se você não quiser nenhuma delas - o que eu duvido muito -, no próprio app tem a opção de pesquisar por algum tema de imagem que queira (assim como na terceira foto procurei por morango). E como não poderia faltar essa opção, em "camera roll", você vai ser direcionada pra sua galeria se quiser usar alguma foto que tenha lá.
Após escolher uma foto, o próximo passo é cortá-la. Os tamanhos disponíveis são: 9x16, 16x9, 3x9, 4x3, quadrado, facebook post, facebook cover, twitter, pinterest e linkedin post. Depois de ajustar como quiser, é só apertar em "crop". Em seguida, o app vai te levar pra aba de fontes "style", onde você pode escolher entre várias e várias fontes. Pra ser mais exata, são quarenta e uma fontes diferentes. Ah, e pra você conseguir alterar o texto, só basta dar dois toques nele. Na segunda aba "color", você pode mudar a cor da fonte e, rolando mais pro lado, vai encontrar até texturas. E tem como você alterar a transparência da fonte na barrinha "transparency".
Na última abinha "image", é possível encontrar vários filtros lindos e diferentes para você usar. E logo abaixo na barrinha "brightness", você pode escolher a intensidade do brilho do filtro, ou seja, se vai querer ele mais forte ou não. Depois que terminar tudo é só apertar em "save". Fácil, né? Um detalhe importante e por mais que não seja uma coisa ruim pra mim - mas que pode ser pra muita gente -, é que não tem como configurar o app em português. Porém, Já adianto que não tem como "apanhar" do aplicativo se souber o do básico do idioma.
Bom, vocês viram que não tem segredo né? Na verdade, o segredo é não ter medo de fuçar e testar o app antes de usá-lo de fato. Pelo menos é isso o que eu faço quando estou conhecendo novos aplicativos sem saber como mexer.

Já conheciam ou gostam? Comentem abaixo!
  • Share

Coisas que me irritam no WhatsApp

Olá, meus amores! Como estão? Hoje em dia o whatsapp é um facilitador de vidas, mas tem sempre alguém pra extrapolar na utilização desses recursos. Ele pode ser uma ferramenta muito útil mas, ao mesmo tempo, muito irritante - e isso tudo vai depender muito do modo que as outras pessoas usam. Eu não sou muito fã do whatsapp, se eu disser que fico uma hora por dia no aplicativo ainda vai ser muito. Eu só dou umas três olhadas lá por dia pra ver se tem algo novo e fica só por isso mesmo. Pensando em tudo o que me irrita/já me irritou no tal aplicativo, no post de hoje vim citar cinco coisas que não suporto no whatsapp.

Correntes
Se tem uma coisa que deveria ter morrido junto com o Orkut, essa coisa é a bendita corrente. Podemos observar que, não importa quantas novas redes sociais apareçam, muitas pessoas nunca deixarão esse hábito pra trás - é um saco! Existem vários tipos de correntes e, na minha opinião, as piores são aquelas mentirosas/enganosas. Bem dessas que dizem que você vai receber uma boa notícia em quinze minutos se repassar pra contatos (puff!! Até parece!). Outro tipo de corrente chata, é aquela de notícias falsas que sempre alguém acredita. Bom, eu não sei se alguém realmente acredita, o problema mesmo é ficar espalhando o que ninguém sabe se é verídico.

Gente que manda mil mensagens por vez
Existe aquele tipo de pessoa seca que escreve tudo abreviadamente e aquelas que sentem necessidade de ficar floodando na conversa. Não sei se essas que "floodam" fazem isso no intuito de ficar te irritando e fazendo com que o seu celular apite milhões de vezes. Só sei que deixo meu celular sempre no silencioso pra ninguém ter o prazer de conseguir me irritar. Sem falar que, conversando com esse tipo de gente, você fica parecendo grossa só porque não é como elas e consegue responder tudo apenas com um balãozinho.

Fotos de bom dia e interativas
Não deve haver um ser humano nesse país que não receba aquelas fotos de "bom dia" todas as manhãs de algum parente. A maioria dessas fotos ainda vem acompanhadas de uma frase "motivadora" e, no fundo de tudo isso, tem uma foto de ursinho (bem coisa de tiazona mesmo). Não que eu não goste de receber um "bom dia" no whatsapp, mas prefiro mil vezes que a pessoa tenha digitado com as próprias teclas. Outro tipo de foto chata que te mandam, são aquelas fotos interativas de páginas do Facebook. No caso, a pessoa salva de lá pra ficar te enviando sempre. Bem o tipo de ser humano que não sabe puxar assunto e precisa mandar isso pra render alguma coisa.

Vídeos
Quando você se dá conta, a memória do seu celular está cheia. E o que está tomando tanto espaço assim? Exatamente esses vídeos que ficam te enviando! Não satisfeitas em mandar um, as pessoas mandam dois, três todos os dias e, se você não apagar, não há memória que aguente. E não são vídeos do tipo produtivos/interessantes que vão acrescentar algo na sua vida, mas sim do tipo pegadinhas do faustão com alguém se lascando ou fazendo alguma gracinha. E, se você perceber, não existe aquele diálogo normal entre você e quem vive mandando vídeos, justamente porque ela vive mandando vídeos.

Quando enviam muitos áudios, inclusive na hora errada
Pior que aquelas pessoas que mandam mil mensagens por vez, são aquelas que tem preguiça de escrever e ficam mandando (vários) áudios em horas erradas. Nem sempre você está em lugares ou momentos apropriados pra ficar ouvindo áudios que mandam. E, quando você recebe um nesses momentos, vive um dilema: ou você não ouve (e não responde nada) ou corre o risco de ouvir próximo do ouvido com o volume baixo. Eu, por exemplo, não gosto de ouvir nada sem o fone, porém, nem sempre estou com ele. Seria mais legal e conveniente perguntarem se você pode ouvir áudios antes de mandarem algum.

Gente que escreve errado
Essa não é uma exclusividade do whatsapp, pois, é comum encontrar em qualquer rede social gente que escreve errado, mas continua valendo também. Olha, eu não saio corrigindo as pessoas - apesar de ter vontade -, contudo, não consigo manter uma conversa com alguém que não escreve direito. Muitas delas dizem que não são obrigadas a escrever certo nas redes sociais, mas tenho certeza que também escrevem errado fora delas. Não precisa bancar "o professor de português que sabe tudo", aliás, nem eu escrevo perfeitamente, porém, saber e praticar o básico da vida e do português não mata ninguém, né? Além de que escrever errado fica bem feio pra você.

Excesso de emojis
Emojis são legais e bonitinhos apenas se você souber usar moderadamente. Eu sei que eles ajudam a entender mais como o outro está se expressando, mas, isso não quer dizer que você tem que fazer isso usando trocentos emojis iguais ou diferentes, né? É irritante ver quem coloca vários a cada palavra ou final de frase que escrevem. Tudo o que pode ser legal acaba se tornando péssimo quando é usado em excesso.

Grupos de família
Grupos de família se resumem em que? Exatamente tudo isso o que eu acabei de citar! Correntes, vídeos, mil emojis e irritação em dobro. Eu não participo de nenhum, mas já me colocaram e eu acabei saindo. Além de rolar conteúdos que não me interessam, eu simplesmente não falava nada lá. Também tem sempre aquele parente preconceituoso que faz questão de ficar distribuindo e vendendo suas opiniões preconceituosas. E, pra não arrumar confusão, você prefere sair do que ficar discutindo e tentando mudar a cabeça da pessoa. Eu, pelo menos, prefiro sair pra evitar ficar brigando.

E o que irritam vocês no whatsapp? Comentem abaixo!
  • Share

O que está acontecendo com a blogosfera? (desabafo)

Olá, meus amores! Como estão? Quem aí além de mim sente que a blogosfera não tem mais aquela valorização que tinha há muitos anos atrás? Há muito tempo eu quero falar da situação que a mesma se encontra atualmente e das coisas que particularmente me incomodam bastante. Se você é um(a) blogueiro(a), com certeza já percebeu que fomos meio "deixados de lado" com o passar dos anos e talvez isso te chateie assim como me chateia. Eu não sou da época em que ter um blog era uma coisa considerada "cool", porém, do jeito que ele saiu mais de cena, é visível a forma que isso nos prejudicou.

Às vezes, eu fico pensando sobre o futuro dos blogs e o que será de nós blogueiras que nos dedicamos fielmente a esse mundo - e confesso que nem sempre fico animada. Vendo como tudo está hoje, eu fico um pouco triste, pois, se você sair perguntando pra pessoas aleatórias se elas leem blogs, arrisco dizer que uma entre cinquenta frequentam e leem blogs assiduamente. Ao contrário de que se for perguntado pra quem acompanha canais e assiste vídeos, é praticamente unanime.

Eu sempre fico pensando se futuramente os blogs vão ter a chance de voltar com aquele reconhecimento de antes ou se as pessoas que ainda estão cultivando vão deixar de lado aos poucos. Não dá pra adivinhar o que será dos blogs daqui pra frente, mas dá pra desejar que tudo seja melhor. Falando assim, até parece que a blogosfera vai entrar em extinção, mas só acho que a situação poderia estar muito melhor.

Não dá pra negar que, com a popularidade de vlogs no YouTube, as pessoas perderam o hábito de visitarem e lerem blogs simplesmente porque assistir vídeos é mais "fácil" e mais "interativo" - pelo menos é essa a impressão que eu tenho. Não culpo próprio YouTube por isso, até porque nada seria dele se não houvesse audiência. O fato é: me desanima bastante saber que aos poucos as pessoas estejam nos deixando de lado e tratam o blog como se fosse uma coisa ultrapassada. Pra mim, dizer que blog é ultrapassado, também significa dizer que a escrita está ultrapassada. E todo mundo precisa da escrita pra ter ou dar informações.

Muita gente que tem um blog e acaba criando um canal, um tempo depois, acaba largando o blog. Entendo que ambos precisam de muita atenção e fica difícil de conciliar os dois, porém, tenho medo do blog tomar o mesmo rumo do Orkut, sabe? Tipo: todo mundo fica com nostalgia quando lembra que lia blogs ou tinha um, mas, no final das contas, ninguém faz nada pra ressuscitar - até chegar o dia em que o fim das plataformas de blogs são decretados. Por mais que surjam milhares de blogs por dia, sempre tem alguém abandonando por algum motivo.

Nos dias atuais, dificilmente você vê uma blogueira sem canal porque é aparente que lá as oportunidades são maiores. Não estou dizendo por questões de números, dinheiro ou parcerias, mas por você ser verdadeiramente reconhecida pelo o que faz. Hoje, uma blogueira só é reconhecida, de fato, se tiver um blog e um canal, dificilmente só porque tem um blog. Com isso, eu meio que vejo na "obrigação" de criar um canal pra ganhar mais visibilidade. Não que eu eu não tenha vontade ou interesse de criar algum dia mas, enquanto esse dia não chegar, eu fico me sentindo tipo uma "blogueira incompleta".

Na minha opinião, uma das coisas que está faltando mesmo é mais incentivos para as pessoas conhecerem e lerem blogs. O pior de tudo é saber que, quem tem poder pra incentivar de verdade, não faz nada disso. Dificilmente você vê alguém que já é bem influente (e que está com blog em ativa) pedindo ou convidando seus seguidores a olharem e lerem seus posts. Eu acho que isso seria importante pra muita gente criar um gosto ou se interessar na leitura de blogs (e outras pegarem esse gosto de volta). Assim como foram influenciadas de certo modo a viverem no mundo de vídeos do YouTube.

Isso também me faz pensar sobre o que está faltando aqui na blogosfera pra elas não se interessarem por nosso querido mundinho. Será que falta conteúdo bom? Interesse do público? Influência? Eu gostaria de saber!
  • Share

Tag: perguntas indiscretas

Olá, meus amores! Como estão? Já falei várias vezes por aqui que eu adoro responder tags pra vocês me conhecerem melhor e saberem um pouquinho mais sobre mim - também é bom pra descontrair um pouco. E como eu devo ter respondido a última uns quatro ou cinco meses atrás, nada mais justo que trazer outra agora, né? E como podemos ver pelo nome do post, respondi a tag "perguntas indiscretas". Eu a encontrei num site de tags e achei interessante, então resolvi respondê-la. A tag consiste em quinze perguntas pouco discretas e pessoais. Vamos lá?

1. Você já levou um fora de alguém? Se sim, de quem?
Se levar um fora também significa não ser correspondida por crushs, então já levei vários. Melhor dizendo, de todos eles. Antes era uma coisa que me deixava na bad, mas gora já nem ligo mais hahaha.

2. Já foi alvo de uma fofoca? Qual?
Que eu saiba, não. Mas se fui, pouco me importo. Pra mim, fofoca é coisa de gente que não cuida da própria vida.

3. Tem algum inimigo(a) ou alguém que você não goste?
Não tenho inimizades. Não posso dizer que gosto de todo mundo pois é impossível, mas sim, essa(s) pessoa(s) que eu não gosto prefiro definir e manter uma distância e viver normalmente.

4. Já brigou feio com alguém? Conte.
Nunca, eu sou muito pacífica.

5. Você se considera:
a) barraqueiro(a)
b) calmo(a)
c) calmo(a), mas se mexer comigo o bicho pega
Eu sou calma até demais e é quase impossível alguém me tirar do sério. Se for um caso extremo, claro que não vou perder a oportunidade de fazer o bicho pegar.

6. Já brigou com alguém da família? Quem?
Nunca. No máximo, já sai aos tapas com a minha prima, mas sabe né, coisa de criança.

7. Alguém já deu em cima do seu namorado(a)? Se sim, qual foi sua reação?
Nunca namorei, portanto, não sei responder como reagiria porque não passei por essa situação.

8. Já sentiu que alguém mandou uma indireta no Facebook para você?
Não sei, não sou de absorver indiretas. Quando a pessoa posta algo muito óbvio na intenção de te atingir, acho que deixa de ser indireta e vira uma direta (mesmo que não tenha te marcado).

9. Você já mandou indireta para alguém em rede social?
Várias vezes! Gostava de mandar indiretas em redes sociais que a pessoa não estava, pois, preferia que ela não tivesse a chance de ler. Era só pra mandar mesmo.

10. Se você visse uma traição de algum amigo(a) ou conhecido, contaria?
Sim! Se eu não contasse, aquilo iria ficar na minha mente sempre. Se a pessoa fosse acreditar ou não, aí não seria mais um problema meu. Pelo menos faria minha parte de avisar.

11. Você já traiu ou foi traído(a)?
Não é do meu caráter trair, eu sou bem certinha pra essas coisas, sabe? E como eu nunca namorei, logo não tem como ser traída.

12. Qual a vergonha ou mico que você passou e nunca vai esquecer?
Uma pessoa tímida raramente sai por aí cometendo micos porque isso é como o fim do mundo pra nós. Porém, tenho que dizer que eu sou o mico em pessoa andando de salto, sério! Não consigo aprender a andar com esse troço nunca!

13. Já fez algo que se arrependeu?
Não. Sou dessas que está mais propensa a se arrepender de algo que deixou de fazer do que realmente fez. Isso é triste, mas é a minha realidade.

14. Quando você não gosta de alguém que está no círculo da amizade ou no trabalho, como reage?
Eu não sei fingir amizade ou simpatia quando não gosto de alguém, então, certamente fingiria que a presença da pessoa é inexistente.

15. Você acha que alguém tem inveja de você? Por que?
Não acho. Se tiver alguém, por favor, pode ir parando porque isso não vai te levar a nenhum lugar hahaha.

Gostaram? Comentem!
  • Share

Acessório de estilo: cordinhas de óculos

Olá, meus amores! Como estão? Quando alguém diz "cordinhas de óculos", é normal pensar naqueles modelos bem tradicionais que as vovozinhas usam para segurar o óculos de grau. E, por ter essa imagem na mente, não dá pra negar que também é vista como uma coisa brega. Mas, essa caretice promete ficar no passado, pois, elas reapareceram repaginadas e completamente estilosas. Também apareceram capazes de atender todos os estilos, desde o boho (que geralmente tem uns penduricalhos), até os mais delicadinhos/sofisticados. Dessa vez, o foco não é serem usadas em óculos de grau como de costume, mas sim, em óculos de sol. Ou seja, tendência que tem tudo pra ficar em alta no verão deste ano.

Agora a função delas não é serem usadas somente pra pendurar, evitar possíveis quedas ou perdas de óculos mas, também para agregar no seu estilo e fazer parte do look. É bem simples combiná-las com roupas, você pode apostar sem medo em blusa branca e jaqueta jeans (como podemos ver nas fotos abaixo). E, além de tudo, você pode escolher a cordinha de acordo com a cor da armação do óculos, assim fica bem harmonioso. A primeira reaparição dessas cordas foi em 2010 no rosto de algumas celebridades (que foram produzidas por marcas de luxo), mas, não ficou popular e logo foi deixada de lado.
Como esse mundo de tendências é pouco previsível e sempre está trazendo de volta o que menos esperamos (ou achamos esquisito), sete anos depois, agora podemos ver mais registros dessa tendência nos rostos - e óculos - das pessoas por aí. Já que vieram renovadas, com um ar mais de divertidas e joviais, não tem mais como dizer que parecem com aquelas das vovós e, provavelmente, você não vai pensar duas vezes antes de querer uma. Várias delas são muito ousadas e aposto realmente não é qualquer um que encararia essas de correntes. Eu acho que fica bonito em outras pessoas, mas não sei se ficaria em mim.
Dependendo da corda que você se interessar e pelo o que eu já andei pesquisando, na minha opinião, tem um preço meio salgadinho. Claro que vai depender bastante do site e do modelo de cada uma, mas, o preço inicial é a partir de vinte e cinco reais. A parte mais legal disso tudo, é que se você quiser gastar pouco e quer ter uma exclusiva, dá pra fazer um DIY usando elástico e miçangas (ou qualquer material que você queira/goste) pra deixar mais a sua cara. Por isso, separei um tutorial explicando todos os passos que você tem que executar para fazer o seu. E acredite, está longe de ser um bicho de sete cabeças!
E vocês, usariam? Comentem abaixo!
  • Share

O que ninguém te conta sobre ter um blog/ser blogueira

Olá, meus amores! Como estão? Muitos encaram o trabalho de uma blogueira como fácil e ficam tipo: "você vive sentada na frente do computador, duvido que seja difícil". Como eu sempre digo: criar um blog é muito fácil, o difícil é conseguir mantê-lo. Todo mundo desse planeta pode criar um blog, porém, são poucos que continuarão com ele porque o negócio aqui não é brincadeira não. Nós também somos conhecidas por receber coisas mas, o que ninguém imagina, é que pode demorar vários anos para conseguir uma parceria - e quem é de fora não vê isso. Acho que muita coisa não é transparecida sobre ter um blog e ser blogueira, então, pensando nisso, eu vim dizer coisas que ninguém te contar sobre ter um blog/ser blogueira.

Nem todos os seus posts vão ter a mesma faixa de visualizações
Pois é, é isso mesmo o que você leu. Por mais que você divulgue igualmente todos os seus posts, uns terão mais visualizações e outros menos. Às vezes, pode demorar alguns dias pra você alcançar mais visualizações (isso acontece comigo) mas, o importante é não deixar isso te enlouquecer, não é mesmo? Eu fiquei meio espantada com isso no começo achando que meus posts menos acessados que os anteriores eram ruins, porém, acho essencial saber lidar com o fato de que nem todas as coisas (ou posts) que vamos fazer vão superar as nossas expectativas. Isso não é um motivo pra desistir ou se irritar.

Não existe descanso/férias
Qualquer trabalho por aí te proporciona férias todo ano ou até uma folguinha, mas, se você tem um blog, é completamente diferente! Aqui não existe férias ou folga e, se você decidir viver esse luxo algum dia, mesmo tirando "férias", todos os dias dela você vai estar fazendo algo pro blog. Também vai estar sempre pensando nele e procurando/tendo idéias. Resumindo: não dá pra ficar totalmente desligada nesse período que você tirou pra descansar. Eu não sei vocês, mas não enxergo isso como uma coisa ruim, pois, adoro todo esse comprometimento que o blog proporciona. É como se as férias fossem uma tortura por me deixar longe do blog.

Você não vai ganhar dinheiro facilmente
Se a sua intenção é criar um blog pra ganhar dinheiro, sinto lhe informar que você vai morrer de fome, inclusive se for depender do AdSense. Ao contrário do que muitos acham, o AdSense não dá tanto dinheiro, muito menos assim de cara. Muita gente entra nesse meio pelo status que o nome "blogueira" carrega achando que vai se dar super bem ficando rica e famosa num estalar dos dedos, mas isso é pura ilusão. Eu sempre digo que as coisas aqui na blogosfera não são fáceis, pois, várias pessoas parecem não levar a sério e acham que exageramos quando dizemos que as coisas são difíceis. Vai por mim: só estamos dizendo a verdade!

Não existe glamour
Quando alguém ouve o nome "blogueira", já imagina que nadamos no dinheiro, vivemos viajando, recebemos mil coisas e temos uma vida "perfeita". Não sei como essa imagem de nós foi construída, mas, eu gostaria de dizer que não é bem assim que as coisas são. Nem todas possuem dinheiro para ficar bancando viagens, produtos caros e etc. Blogueiras que desfrutam disso é porque já trabalharam bastante e conquistaram (ou nasceram ricas), mas essa não é a realidade da maioria. Hoje em dia, até acho que blogs são bastante desvalorizados, não pelas próprias blogueiras, mas pelo publico que deixou de lado o hábito de ler blogs e dar apoio para nós que não temos um canal no YouTube.

É difícil se destacar
Existem tantos blogs por aí e é muito fácil ser "mais uma", porém, suspeito que você não queira ser só mais uma no meio desse monte, né? Apesar de que aqui tenha espaço pra todo mundo, é bem difícil se destacar no meio de tantas pessoas que já fazem praticamente tudo o que você faz. Não sei a fórmula que te faça se destacar (se eu soubesse compartilharia) mas, na minha opinião, eu acho que ser diferente é uns dos maiores segredos. O que não deve faltar nesse meio é gente igual, então, ser diferente te impulsiona bastante. Mesmo que se inspire em alguma pessoa, não esqueça de colocar a sua verdade e essência no que você faz.

Trabalhamos o dia inteiro
Pra muitos parece ser bem "baba" ficar na frente do computador o dia inteiro, mas, ninguém sabe a tamanha disposição mental que isso exige. Cuidar de um blog o dia todo não é a mesma coisa que ficar atoa em redes sociais batendo papo. Aliás, não deveria existir essa comparação, já que um blog exige suor e dedicação. Quase todos os dias faço vários posts por vez, sem contar que tem que ficar pesquisando e inventando assuntos no meio disso tudo. No final, você percebe que levou o dia inteiro fazendo tudo. Claro que o tempo gasto depende de quanto cada uma tem disponível mas, se você não faz outras coisas, vai passar facilmente o dia todo trabalhando no blog.

Sabem mais alguma coisa? Comentem abaixo!
  • Share